quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Quando o mar não deixa...

Boas, no dia de ontem visto que o mar apresentava-se bastante grande e sem condições decidi mais o amigo Bruno ir exprimentar pela nossa terceira vez a pesca ao corrico de kayak. Foi uma manhã bem passada, com alguma chuva à mistura e um robalote que cheio de fome atacou a nossa raglou verdinha, este seguidamente foi devolvido à sua maternidade e habitat natural, a Lagoa de Óbidos. Tantos exemplares como este vejo bastantes vezes nos sacos de rede e baldes de pescadores que conscientemente ou inconscientemente decidem em traze-los para casa em vez de os soltarem com o objectivo de uns anos mais tarde talvez voltarem a encontrar-se.
Ficam os registos fotográficos apesar da péssima qualidade da foto do robalote originada pelas gotas de água na lente.

Abraço e boas pescas.


Pedro Gomes.






4 comentários:

bruno spin disse...

Boas Pedro,realmente é uma pena ver pescadores a levarem peixe sem medida para casa. Bom relato e Parabéns pelo Cactch and Releste.

Abraço

BrunoSinPah

António Matos disse...

Pois isso é que é uma grande vergonha ver peixes desses em sacos prontos para ir para a fritadeira.
Parabéns
abraço

Fishbone Team disse...

eu ja vou para a foz do arelho ha mais de 30 anos(bomsucesso) e muitos desses robalinhos devolvia a agua, muitos pescadores ainda me chamavam de maluco..e depois dizem que nunca apanham dos grandes, pudera se não os deixam crescer..enfim, fica na consciência de cada um...

Pedro Nunes disse...

As fotos sao o menos, k conta é a intençao,e à pala desse k soltaste vais apanhar um grandao :)
Saude